Orla Charitas Reurbanizada

Hoje é dia de festa no escritório do arquiteto e urbanista carioca Guto Índio da Costa! A equipe liderada por ele foi a grande vencedora do concurso público nacional para escolha da melhor proposta de requalificação urbanística da orla de Charitas, em Niterói. Promovido pela Prefeitura de Niterói, com organização do IAB-RJ, o concurso foi concebido com base no Plano Diretor, que está elaborando o Programa de Requalificação Urbana das Praias da Baía da Guanabara. A Orla de Charitas é, de acordo com o secretário municipal de Urbanismo e Mobilidade, Renato Barandier, o espaço com a maior diversidade de vocações da cidade de Niterói, desde o seu potencial paisagístico único até as questões sociais, de trabalho e renda da população. Uma grande conquista!

Saiba mais sobre o projeto vencedor:

A proposta de requalificação da orla de Charitas, em Niterói, prioriza o pedestre, as áreas verdes e o encontro entre as pessoas. Segundo Índio da Costa e equipe, trata-se de um novo olhar para a área, que respeita a pureza dos espaços, que honra a sua história humanitária e inclusiva. “A orla ganha um caráter de um grande parque linear, que se estende por toda a praia, dotado de uma linguagem urbanística atual, que contempla um ajuste viário, o embutimento de todos os fios, uma nova ciclovia, equipamentos esportivos e um banho de vegetação”, afirma o grupo. Confira, abaixo, detalhes para o plano viário, paisagismo e Parque da Orla.

O traçado viário foi inteiramente redistribuído, entre o meio-fio do calçadão e da calçada junta aos prédios. Foi possível acrescentar, além das faixas viárias já existentes, duas novas faixas incorporadas ao canteiro central, dedicadas à implantação do futuro VLT ou BHLS (sigla em inglês para definir os serviços de ônibus de alta qualidade). O remanejamento das áreas de estacionamento, possibilitou encurtar a alça de retorno próxima à estação das barcas, permitindo ampliar o trecho da orla e, consequentemente, o novo parque entre o Preventório e a praia.

A proposta paisagística deverá funcionar como um nexo entre o projeto urbanístico e a paisagem natural, integrada ao próprio cenário do ambiente local. Deve ser compreendida como de natureza mitigadora e compensatória aos impactos causados, com a intenção de recriação da paisagem, através de processo ecogenético, buscando um novo modelo de intervenção, voltado à uma nova estética: a estética ambiental.

O calçadão de Charitas ganha um novo parque, transformando toda a extensão da orla em uma grande área de lazer. A remoção das vias e a sua substituição por uma área aberta, que será ocupada pelo novo parque, promove uma ligação direta entre o Preventório e a praia. Os antigos obstáculos dão lugar a uma nova ocupação, aproximando a comunidade da orla e dissolvendo as fronteiras entre elas. Os equipamentos existentes na região, como escolas e hospitais, conectam-se com a nova área, promovendo um verdadeiro polo de integração, cultura e entretenimento.