Paulo Werneck em Cartaz

O Museu de Arte do Rio (MAR) reabriu na semana passada com uma bela exposição em homenagem ao muralista Paulo Werneck. Com curadoria de Claudia Saldanha e Marcelo Campos, a mostra “Paulo Werneck – Murais para o Rio” lança luz sobre a obra do pioneiro da atividade mural no país, reunindo aspectos importantes da trajetória do artista carioca. Ao reunir estudos preparatórios para painéis, executados em mosaico, ilustrações, objetos e alguns documentos históricos, a mostra agrega projetos por afinidades estéticas, revelando um variado repertório de composições figurativas, abstratas e geométricas.

 Foto: Acervo Projeto Paulo Werneck 

Um grupo de desenhos apresenta seus primeiros projetos: os painéis para o Instituto de Resseguros do Brasil e para o Ministério da Fazenda, ambos realizados no Rio de Janeiro, entre 1942 e 1943. Outro conjunto concentra a produção gráfica para livros e jornais. São desenhos a guache que nos remetem a uma iconografia brasileira muito valorizada no período, nos influxos modernistas em torno da construção de uma suposta “brasilidade” – a referência aos povos originários, afrodescendentes, à floresta e a outros elementos da cultura nacional.

Outro conjunto nos mostra a atividade de Paulo Werneck como muralista de grandes empresas e fachadas. São os projetos modulares ou “padrão”, como o artista preferia designar. Composições geométricas se multiplicam adaptando-se a qualquer superfície plana em grande escala, tão habituais na arquitetura modernista. Utilizando quase sempre o círculo, o triângulo e o quadrado, o artista alternava o mosaico vitrificado das paredes internas com o cerâmico das fachadas.

Em 1943, a convite de Oscar Niemeyer, amigo dos tempos de escola e companheiro de militância política, realizou os painéis laterais da Igreja São Francisco de Assis, na Pampulha, em Belo Horizonte. Com cerca de 20 metros de extensão, os painéis da igrejinha da capital mineira são a primeira obra abstrata disponível ao grande público no Brasil.

Igreja São Francisco de Assis,  Pampulha, BH

A exposição, que reúne 150 itens, é um testemunho do importante papel desempenhado por Paulo Werneck na construção de uma nova arquitetura e, em particular, na criação de edifícios públicos para o Rio. 

“Paulo Werneck – Murais para o Rio” fica em cartaz até agosto no Museu de Arte do Rio (MAR). Para visitar, é recomendado o agendamento através do  site (https://ingressos.museudeartedorio.org.br/#/home) do museu. A visitação é de quinta – domingo, das 11h às 18h.