Em cartaz: OSGEMEOS

Com as férias de verão batendo na porta, e as dificuldades que os tempos atuais impõe para viagens internacionais, a boa pedida é ficar por aqui e aproveitar tudo que temos de melhor em termos de cultura. Nessa vibe, um pulo em São Paulo se faz necessário para conferir a belíssima exposição da dupla OSGEMEOS, que ainda está em cartaz na Pinacoteca até o fim de fevereiro. Batizada de “Segredos”, essa é a primeira exposição panorâmica dos artistas e irmãos Otávio e Gustavo Pandolfo. A mostra conta com mais de 1000 itens, cerca de 50 desses são inéditos ou nunca exibidos no país.

Os irmãos gêmeos e artistas plásticos Otávio e Gustavo Pandolfo

Os irmãos sempre tomaram o espaço urbano como lugar de vivência e de pesquisa desde o início de sua produção, em meados da década de 1980. Os artistas partiram de uma forte imersão na cultura hip hop, que havia chegado ao Brasil no momento em que os irmãos começaram a produzir, e da influência da dança, da música, do muralismo e da cultura popular para desenvolver um estilo singular, com atmosfera alegre, que acabou se tornando um emblema dos espaços urbanos pelo Brasil e pelo mundo.

Seus trabalhos contam histórias – às vezes autobiográficas – cujas tramas envolvem fantasia, relações afetivas, questionamentos, sonhos e experiências de vida. OSGEMEOS mantém seu ateliê, até hoje, no Cambuci, antigo bairro de operários e imigrantes na região central de São Paulo, no qual passaram sua infância e juventude. A partir da década de 1990, suas experimentações – não só em grafitti, mas também pintura em telas e esculturas estáticas e cinéticas – ultrapassaram os limites bidimensionais, culminando na construção de um universo próprio que opera entre o sonho e a realidade.

Para a mostra na Pinacoteca, o duo apresenta pinturas, instalações imersivas e sonoras, esculturas, intervenções site specific, desenhos e cadernos de anotações. Esses últimos, da fase ainda adolescente e apresentados ao público pela primeira vez, antecedem os famosos personagens amarelos, abrindo caminho para a compreensão da raiz de seu surgimento. O corpo de obras invade o museu, ocupando as sete salas de exposições temporárias do primeiro andar, um dos pátios, diversos espaços internos e externos, além de uma instalação, concebida especialmente para o Octógono.

E para evitar contatos e aglomerações, é necessário marcar a data e o horário pelo site do museu (www.pinacoteca.org.br). Aos sábados, a visitação é sempre gratuita.