Inspiração: Thomas Jorion

Durante quase dez anos, o fotógrafo francês Thomas Jorion cruzou a Itália explorando os palazzos e villas decadentes e desmoronados dos séculos XVIII e XIX. Usando uma câmera analógica, ele imortalizou esses vestígios do passado para uma série que ele batizou de “Veduta”. Por meio de suas lentes, enxergamos a antiga glória destes palazzos.

“Pensile,” Itália, 2017

Muitas vezes ainda com a pintura decorativa intacta, cada interior tem sua personalidade que está lentamente se desenvolvendo em desordem. Capturar a individualidade destes espaços abandonados é parte do que motiva o fotógrafo francês.

“Fulmine,” Itália, 2018

Thomas Jorion viaja pelo mundo em busca de lugares para fotografar com sua câmera 4×5. Fotografando sempre com luz natural, ele busca abstração ou uma qualidade gráfica no cenário. Seu trabalho fala da natureza frágil e efêmera da humanidade, nos provocando a pensar se nosso destino será semelhante a estas construções do passado. E se não, como será o futuro? Em sua quietude, estes espaços vazios nos obrigam a preencher os espaços vazios de seu passado como uma forma de entender seu presente. 

 “Cedri,” Itália, 2017

 “Fondali,” Itália, 2017

Atualmente a série “Veduta” está em cartaz na Abbaye de Cluny, na Borgonha (França) até fevereiro de 2021. Mas, como o momento não está para viagens, a boa notícia é que o trabalho dele está imortalizado em livro, publicado pela La Martiniere Arts.