Interiores: Intown Arquitetura

Apresentamos hoje o 16º episódio do projeto “Interiores”.  A cada semana, destacamos em nossas redes sociais posts com arquitetos convidados e exploramos o universo interior desses profissionais que ajudaram a escrever a história dos 30 anos da CASACOR Rio. O convidado de hoje é Hugo Schwartz, da Intown Arquitetura, que dividiu conosco ideias sobre o “morar”, inspirações, referências, hobbies e processos de trabalho.

Hugo Schwartz, arquiteto e urbanista, é sócio e fundador da InTown Arquitetura, ao lado de Alexandre Gedeon. Ele trabalha no mercado desde 1994 e a dupla já participou de quatro edições da CASACOR Rio de Janeiro e de duas edições da CASACOR São Paulo. Hugo se define como um total minimalista. “Tenho horror ao excesso de linhas e informações. Na minha concepção, a arquitetura precisa se apresentar pura, funcional e de fácil entendimento e visualização,” explica.

Ele conta que se inspira na vasta biblioteca de imagens que colecionou ao longo dos anos e que mantêm catalogada e organizada. “Além disso, estou sempre viajando a lugares que ainda não conheço e que, na maioria das vezes, possuem algum interesse histórico e arquitetônico,” diz.

Para ele, a fase inicial de um projeto é a mais divertida e empolgante, antes mesmo de apresentar o primeiro estudo ao cliente. “É quando você ainda tem total liberdade de criação sem os limites que vão surgindo depois, como restrições orçamentárias e de execução!” 

Na arquitetura os profissionais que inspiram Hugo são Cláudio Bernardes e Sergio Gattáss, com quem já trabalhou. “Já na administração da empresa e execução de obras, minha inspiração é meu pai: Alfredo Schwartz, com quem também trabalhei por muitos anos,” conta. 

Hugo acredita que com a quarentena as pessoas vivenciaram pela primeira vez suas casas de forma plena, possibilitando perceber qualidades e defeitos, tanto estéticos como de funcionalidade. “O pós-Covid será repleto de transformações, tanto para atender a essas necessidades percebidas, como para adaptação à nova realidade,” reflete. Ele acredita que individualmente o home-office será uma das mudanças mais significativas por conta da pandemia. “Aquele escritório temporário no quarto vazio possivelmente se tornará permanente, assim como a mesa da sala, que teve seu uso alterado durante a quarentena, será adaptada para uso misto. O que antes era um quarto reversível, agora será um quarto/escritório reversível,” conclui Hugo.

Na próxima segunda-feira, dia 21 de setembro, Hugo Schwartz será entrevistado por Patricia Mayer, jornalista e sócia da 3Plus, às 19h no nosso Instagram @acordacasa. A entrevista ficará salva no IGTV logo em seguida da Live. Não perca!