Think & Dine

Na Europa, na Ásia e nos Estados Unidos, diversas cidades estão aos poucos relaxando medidas de isolamento e a vida fora de casa está lentamente se tornando possível. Mas para que as atividades sociais sejam possíveis, designers mundo afora estão na linha de frente inventando o “novo normal” e criando soluções possíveis para que a gente possa voltar a frequentar nossos bares, restaurantes, casas de shows e cinemas prediletos. O A cor da Casa destaca hoje o que alguns restaurantes do mundo já estão fazendo – com a ajuda do bom design – para reabrir as portas em segurança. 

Na era dos coronavírus, o distanciamento social fez com que comer fora seja uma experiência muito diferente. O tempo que as pessoas ficam dentro de restaurantes pode potencialmente expô-las a uma carga viral alta, pois as partículas do Covid-19 podem permanecer suspensas no ar por mais de três horas. Uma primeira medida, bem óbvia, é reduzir o número de assentos em cada restaurante. E para que não haja contaminação através do toque nos cardápios, cada vez mais estamos observando a substituição por QR codes que fazem com que o menu apareça na tela do celular do cliente. 

Mas as soluções não param por aí. 

Na Holanda, o restaurante Mediamatic Eten está acomodando seus clientes em pequenas “estufas” de vidro que abrigam até três pessoas. As cabines são charmosas e ficam às margens de um canal de Amsterdã. Além de cada grupo de clientes ficar separado por domos de vidro, os funcionários utilizam luvas e protetores faciais. 

Uma longa bandeja também é utilizada para entregar os pratos sem que o garçom precise se aproximar muito da mesa. O sucesso é tamanho que o restaurante está com problemas para administrar a longa fila de espera para as reservas! 

O designer francês Christophe Gernigon também resolveu pensar fora da caixa. Ele desenvolveu sinos de acrílico para serem pendurados no teto em cima das cadeiras nas mesas de restaurantes.  O produto, que parece uma espécie de abajur, foi batizado de Plex’Eat e por enquanto ainda não foi comprado por nenhum restaurante, mas está em fase de negociação com diversos estabelecimentos. Os sinos fazem com que os clientes fiquem tão protegidos como se estivessem comendo de máscara. 

E na Itália, o designer Giorgio Viscione apostou numa medida mais simples, barata e rápida de ser implementada. Junto com o empresário Valerio Calderonei, de Roma, eles colocaram separadores transparentes nas mesas para prevenir a transmissão entre clientes. 

Mas, será que o público vai se adaptar com tudo isso? Só o tempo dirá.