Arte em casa

Estamos vivendo um momento onde todos estão repensando suas atividades, seus propósitos e seus ofícios. Inevitável, afinal. A indústria da arte, que se movimenta muito através de feiras, exposições, vernissages, etc, está sangrando. E para dar um up e reinventar aspectos dessa indústria milenar, Sebastian Errazuriz teve uma grande ideia. O designer chileno radicado em Londres criou uma exposição online que permite que colecionadores visualizem obras de arte em casa usando ferramentas de realidade aumentada (AR) durante a crise causada pela pandemia do novo coronavírus. 

o designer Sebastian Errazuriz é o criador da plataforma All Show

Com museus e galerias fechados e feiras de design e arte canceladas ou adiadas devido à crise, Errazuriz e o artista Zander Eckblad desenvolveram a plataforma chamada All Show para que os artistas possam publicar seus trabalhos automaticamente e os compradores possam visualizá-los em casa.

Funciona assim: os “visitantes virtuais” podem escolher as obras de arte no site através de seus smartphones. Assim que encontrarem algo que interesse, podem visualizá-los na opção “Ver no AR”, que abrirá uma nova página com um ícone. Assim, a obra de arte passa a aparecer dentro da sua casa. Se houver interesse em comprar, é possível entrar em contato diretamente com o artista.

Entre as obras está a Social Distancing Installation, do designer de Nova York Joe Doucet, que apresenta uma série de estátuas escuras. Para ele, o All Show não é apenas uma plataforma comercial, mas também permite que as pessoas desfrutem de obras de arte enquanto permanecem em casa.

“Social Distancing”, de Joe Doucet

Outros trabalhos em exibição incluem o quadro “Eric mataria por um Prêmio Nobel da Paz”, de Eric Cahan, as mulheres desenhadas por Irene Soyfer e a proposta de Errazuriz de transformar a catedral de Notre-Dame em uma plataforma de lançamento de foguetes.

“Starving Artist”, de Sebastian Errazuriz

\

 “Babes 3”, de Irene Soyfer

Errazuriz acredita que os problemas causados ​​pela pandemia incentivarão a nossa criatividade. “A pandemia dará início à próxima onda de expressão criativa”, disse ele. Ele acredita que a realidade aumentada continuará a ter um impacto no tipo de arte que as pessoas produzem e na maneira como são vistas após a crise.