A casa do filme

Vencedor de quatro prêmios na noite de ontem, “Parasita”, o filme sul coreano de Bong Joon-ho, foi a grande revelação do Oscar 2020. Entre os troféus, o de melhor filme, algo inédito para uma produção de língua estrangeira. O A Cor da Casa faz hoje uma homenagem especial à cenografia do filme, assinada por Lee Ha Jun – uma verdadeira obra de arte que merecia o troféu de Melhor Direção de Arte.

O designer e cenógrafo Lee Ha Jun, formado pela Korea National University of Arts é realmente um craque. Arriscariamos até chamá-lo de “gênio”, pois ele conseguiu construir – literalmente – um dos personagens principais do longa: a casa. Mas, como assim, a casa é um personagem? Isso mesmo. A casa da família rica é tão importante para a trama quanto os próprios personagens que vivem – e convivem – lá dentro. Como em um projeto da CASA COR, o cenógrafo projetou uma casa idealizando cada detalhe do morar, viver e habitar. 

O briefing recebido por Lee do diretor Bong Joon-ho é que a casa precisava receber muita luz natural, o que para ele simboliza um sinal de riqueza. Portanto, o primeiro passo foi encontrar o lote perfeito, pautando a decisão pela quantidade de exposição ao sol. Lee então projetou a casa, construiu a fachada e todo o andar térreo, inclusive os jardins. Isso mesmo, a casa não existia previamente. Já o andar superior, onde ficam os quartos da família, bem como a casa dos pobres, foram construídos longe dali, num estúdio. 

Um aspecto interessante da cenografia são as escadas, elo simbólico e metafórico de ascensão social. No andar mais alto da casa, dorme a família abastada, enquanto no inferior, um indigente. 

Outro detalhe que vale destaque são os móveis escolhidos por Lee – e a decoração da casa em geral. Com móveis desenhados pelo sul coreano Bahk Jong Sun,  com linhas retas, clean e de hiper bom gosto, o cenógrafo conseguiu passar uma imagem de frieza permanente para a casa, algo que também tem peso na narrativa. 

Essa é a terceira colaboração do diretor Bong Joon-ho e do cenógrafo Lee Ha Jun. Esperamos, de dedos cruzados, que essa parceria certeira tenha vida longa, para o deleite dos telespectadores apaixonados, como nós, pelo design. Viva o “Parasita”!