Hugo França na Sotheby’s

Hugo França está com tudo e não está prosa. Na semana passada, em Nova York, uma das esculturas mobiliárias produzidas pelo designer gaúcho foi arrematada no leilão da Sotheby’s por um valor muito acima do esperado. O banco Tafui foi vendido por US$ 43.750, valor quase três vezes acima do lance inicial de US$ 15 mil.  Produzida de resíduos de pequi vinagreiro em 2008, a obra tem dimensões impressionantes, com 103 X 253 X 180 cm e 400 kg.

 

A conquista consolida a relevância internacional do artista, que possui diversas obras em importantes coleções pelo mundo. Em São Paulo, as obras de Hugo França podem ser vistas em seu ateliê, que recebe visitas com hora marcada, e na Galeria Bolsa de Arte (http://www.bolsadearte.com.br/site/pt/), na Vila Madalena, onde está em cartaz a exposição “Aplomb – Encontro entre Hugo França e Tom Fecht”.

 

Em busca de uma vida mais próxima da natureza, França se mudou de Porto Alegre para Trancoso, na Bahia, no início da década de 80, onde viveu por 15 anos. Lá, percebeu o grau de desperdício na extração e uso da madeira, vivência que pautou seu trabalho. Foi lá que ele começou a executar peças a partir de árvores condenadas naturalmente, por ação das intempéries ou pela ação do homem. As peças criadas por ele nascem de um diálogo criativo com a matéria-prima: tudo começa e termina na árvore. 

Ela é a sua inspiração; suas formas, buracos, rachaduras, marcas de queimada e da ação do tempo provocam sua sensibilidade e o conduzem a um desenho cuidadosamente escolhido, uma intervenção mínima que gera peças únicas.

Para conhecer mais o trabalho do artista e designer, visite o site: http://www.hugofranca.com.br/