Inspiração: Les Lalanne

O frisson no leilão da Sotheby’s da semana passada não era visto há muito tempo. Todas as 274 peças do casal Lalanne foram vendidas bem acima da margem, atingindo um valor 4 vezes mais alto do que o previsto ($101,5 milhões de dólares!) e atraindo mais de 4 mil interessados, provenientes de 43 países. Essa foi a primeira vez que peças da coleção pessoal do casal foram leiloadas. O coração da coleção é dedicado a obras de arte criadas por eles e que estavam em sua casa. Do monumental à miniatura, cada peça representa a concepção divertida e única do casal sobre o design.

Foi a morte de Claude no início do ano (François-Xavier morreu em 2008) que propiciou que as peças fossem leiloadas em Paris nos dias 23 e 24 de outubro. “Les Lalanne” – como eram conhecidos nos círculos sociais e entre jetsetters internacionais- foram criadores, colecionadores e influenciadores, bem antes da era digital. A paixão pelos objetos e móveis de encanto onírico  e senso de humor caprichado, resultou em uma coleção cobiçadissima pela sua originalidade. 

Entre os amigos do casal estavam artistas como Constantin Brancusi, Salvador Dalí, Man Ray, Jean Tinguely, Louis Aragon e Jasper Johns. Sua influência se estendeu até o mundo da moda, quando Claude se tornou a única artista com quem Yves Saint Laurent trabalhou junto ao longo de sua carreira. As criações de jóias  de Claude inspiraram também outros estilistas como Hubert de Givenchy, Karl Lagerfeld e Stella McCartney. Les Lalanne eram parte atuante da cena artística do século 20, com seu trabalho apresentando desde capas de discos de Serge Gainsbourg até a mesa de jantar de Salvador Dalí.

Entre os itens apresentados pela Sotheby’s, estavam:

a famosa ovelha de François-Xavier em epóxi e lã – vendida por 2,8 milhões de dólares

 uma mesa lateral de rinoceronte – vendida por 6 milhões de dólares

abajures de macaco (valor ainda desconhecido)

 o coelho de 6 pés em bronze – vendido por $667 mil dólares

a escultura de repolho de Claude – $2,4 milhões de dólares