Burle Marx em Nova York

Roberto Burle Marx (1909-1994) era uma força da natureza – através de suas paisagens arrojadas, arte vibrante e compromisso com a conservação das plantas. Sua poderosa visão modernista produziu mai de 3 mil projetos de paisagismo durante sua carreira de 60 anos, incluindo as famosas calçadas de Copacabana e o belo jardim do último andar do Banco Safra, em São Paulo. O Jardim Botânico de Nova York apresenta uma exposição recém-inaugurada e sem precedentes – que oferece o visitante a oportunidade de sentir a energia artística e o amor pelas plantas do grande mestre através de jardins exuberantes, pinturas e desenhos, incorporando os cenários e sons do Brasil que inspiraram sua vida e obra.

Credits: Pedro Araujo (TheZakMan)

Roberto Burle Marx é homenageado em exposição no Jardim Botânico de Nova York (NYBG)

Chamada “Brazilian Modern: The Living Art of Roberto Burle Marx”, é a maior exposição botânica do Jardim Botânico de Nova York e a primeiro a combinar uma homenagem hortícola ao trabalho de design de Burle Marx, revelando conexões profundas entre sua prática artística e seu compromisso com a conservação ambiental.

A exposição destaca seus projetos paisagísticos, executados em cores vivas e formas geométricas fluidas; suas obras de arte dinâmicas e influentes; e suas célebres contribuições para a exploração botânica e conservação de plantas no Brasil.

E, ao final da visita, no quarto andar da Biblioteca LuEsther T. Mertz, há um retrato gigante de Burle Marx em seu estúdio coberto de imagens de azulejos. Uma placa avisa: “Crie seu próprio azulejo para completar o design de Burle Marx.” E em uma longa mesa, caixas de lápis em 10 tons de azul ficam disponíveis para que o visitante faça parte dessa história.

 

 

Brazilian Modern: The Living Art of Roberto Burle Marx” está em cartaz até 29 de setembro no Jardim Botânico de Nova York.