Paul Klee no Rio

A relevância de Paul Klee (1879-1940) para as artes é inquestionável. No início do século XX, seu trabalho marcou a história do modernismo, um legado que pode ser apreciado em visita ao acervo do Zentrum Paul Klee, de Berna, Suíça, cidade onde o artista nasceu e residiu. Diretamente da instituição, responsável por zelar por mais de 4 mil obras de Klee, são provenientes os 120 trabalhos minuciosamente selecionados para a mostra Paul Klee – Equilíbrio Instável, inédita na América Latina. Sucesso de público e de crítica em São Paulo, a mostra permanecerá no Rio entre 15 de maio e 12 de agosto no CCBB.

 

” ‘O’ formato largo” (1915)

 

Ao longo de sua trajetória, Klee se associou às correntes modernistas. A angústia do homem moderno nos traços fortes e coloridos do expressionismo; a valorização das formas geométricas e do descompromisso com a figuração do cubismo; a importância da composição inspirada pelo construtivismo. O caminho rumo à abstração e ao inconsciente do surrealismo ganham, nos trabalhos de Klee, uma assinatura muito pessoal.

 

Ferido” (1940)

 

O ano de 2019 é marcado internacionalmente pela comemoração dos 100 anos de criação da Bauhaus, a mais cultuada escola de arquitetura, artes e design do mundo.  Klee foi um dos expoentes e vanguardistas da Bauhaus e exatamente por isso, ao visitar a exposição, vale especial atenção para o núcleo “Professor na Bauhaus”, que apresenta Paul Klee, ao visitante, no contexto da influentíssima escola alemã.

 

“Depois do ato de violência” (1940)

 

Um dos atrativos da exposição brasileira, que tem entrada livre para todas as idades, é o conjunto de cinco dos fantoches produzidos por Klee para seu filho Felix, entre 1915 e 1925. O artista criava as cabeças e as roupas a partir de restos de tecidos velhos e materiais simples que ele encontrava em casa, como carretéis de linha, tomadas ou ossos de boi fervidos. Segundo a curadora da exposição, Fabienne Eggelhöfer, “Klee nunca manipulava os bonecos, deixando a brincadeira inteiramente para o seu filho, que entretinha a família e os amigos com seu talento cômico”.

 

“Des-anjo”(1939)

 

Paul Klee – Equilíbrio Instável abrange todo o período da vida artística de Klee, apresentando obras raras e pouco conhecidas – uma produção que se inicia ainda em sua juventude, no final do século XIX. É, portanto, uma exposição fundamental sobre o artista para aqueles que apreciam a sua obra e a história da arte.

 

“Fronteira” (1938)

 

“Paul Klee – Equilíbrio Instável” fica em cartaz até 12 de agosto no CCBB Rio de Janeiro – Rua Primeiro de Março, 66 – Centro.