O Novo 5 Estrelas de Paris

Em tons de azul royal, homenageando a cor do Rio Sena, o novo Hotel Lutetia foi inaugurado em Paris com ainda mais sofisticação e conforto para os hóspedes. O hotel, que já era um ícone da Cidade Luz, hospedando durante décadas famosos como Ernest Hemingway, James Joyce- que ali escreveu parte do clássico “Ulysses”- ganha uma nova cara ao mesmo tempo que mantém sua riqueza histórica, e estilo art déco, intactos. Com projeto do arquiteto francês Jean-Michel Wilmotte, o novo-velho hotel proporciona um ar mais leve e exclusivo a quem ali deseja passar férias. E mais: ostenta agora cinco estrelas e tem grandes chances de ganhar status de  “hotel-palácio”, uma categoria que abriga apenas vinte e poucos hotéis atualmente em toda a França.

        

Ao longo de quatro anos, o hotel permaneceu fechado para uma reforma completa, com um investimento de cerca de 230 milhões de euros.  Para oferecer mais conforto aos hóspedes, o número de suítes foi reduzido de 233 para 184. Agora, todos os quartos tem uma vista privilegiada, sem exceção. Os banheiros brancos e bem iluminados chamam a atenção pelas banheiras com bordas curvas, todas esculpidas no próprio local, a partir de imensos blocos de mármore de Carrara.

Destaque também para a Brasserie do Lutetia que passou a ser comandada pelo estrelado chef Gérald Passédat, do restaurante Le Petit Nice, de Marselha, com três estrelas Michelin. Ao contrário dos tradicionais restaurantes estrelados, esse promete aos clientes um ambiente descontraído e mais informal.

O hotel foi construído pelos mesmos donos da loja de departamentos Le Bon Marché em 1910, que fica ali na redondeza, e agora pertencente ao grupo israelense The Set. Uma compra simbólica, para falar o mínimo. Afinal, depois da Segunda Guerra, o hotel abrigou sobreviventes de campos de concentração. O mundo dá voltas, e Paris – sempre ela – a grande protagonista.