Burle Marx na CASACOR Rio

O A Cor da Casa destaca hoje o belo projeto de paisagismo na área externa da “Suíte da Mulher”, da arquiteta Gisele Taranto, assinado pelo Escritório de Paisagismo Burle Marx. O escritório mantém os conceitos de Roberto Burle Marx, que acreditava que o design paisagístico era uma forma de arte. O paisagista icônico propôs um novo estilo de composição, associando uma abordagem plástica de forte viés artístico com o uso de plantas nativas de cores fortes e vivas, tirando partido de suas características intrínsecas, tais como: volume, forma e textura.

 

 

Atualmente, o escritório é coordenado pela terceira geração de arquitetos paisagistas – Isabela, Julio e Gustavo – que possuem ampla experiência nacional e internacional, e preservam os conceitos criativos de Haruyoshi e Burle Marx. Isabela Ono, atual diretora geral, e seus sócios Gustavo Leivas e Julio Ono, assumiram a direção da empresa em um processo que já havia se iniciado de maneira natural e gradual através do convívio diário e desenvolvimento de projetos paisagísticos em conjunto com Haruyoshi durante os últimos anos.

 

Belmond Copacabana Palace: projeto de paisagismo para a reformulação da piscina, com proposta tropical e sofisticada, alinhado a proximidade com a orla de Copacabana

Museu do Amanhã: projeto de paisagismo para o novo museu com foco total em sustentabilidade

Casa Marques: projeto de paisagismo residencial, desenvolvidos com exclusividade dentro do conceito de paisagismo arte

 

No projeto para “Suíte da Mulher”, a vegetação tropical envolve propositalmente de forma densa, todo o entorno da área externa, criando um terraço jardim intimista e pedra existente, integrando-a de forma sutil ao ambiente. O som do movimento da água reforça essa atmosfera relaxante valorizando ainda mais o espaço. O uso de alguns grupos vegetais junto a pedra traz para o jardim uma referência do costão rochoso existente na paisagem carioca.

 

foto: André Nazareth

 

O piso cinza e neutro amplia o espaço de estar e compõe com o mobiliário de design nacional premiado: uma mesa e quatro cadeiras baixas em madeira certificada, que podem assumir configurações distintas no espaço, separadas ou juntas, reforçando assim o conceito de “casa ninho”.

 

foto: André Nazareth

 

Em contraponto à vegetação densa em tons de verde, ao espelho d´água em preto e a rocha, o projeto paisagístico insere uma peça artística em formato de banco, que dialoga com a tensão entre o artesanal e o tecnológico, o barroco e o moderno.

 

foto: André Nazareth

 

O banco artístico foi todo confeccionado com as peças originais desenhadas por Roberto Burle Marx e Haruyoshi Ono, no final dos anos 80, utilizando uma paleta de cores quentes (amarelos, laranjas e vermelhos) e cores frias (tons de azul e pistache). Este material foi desenvolvido tanto com desenhos de painéis inteiros como com séries avulsas, que são as selecionadas pelos paisagistas Isabela Ono, Julio Ono e Gustavo Leivas para uma releitura contemporânea dos mestres e da época. Essa peça multicolorida se opõe e dialoga com o conceito intimista do jardim, remetendo à proposta de uma mulher moderna, empoderada e dona do seu espaço; conceito proposto pela arquiteta Gisele Taranto para o ambiente.

 

A CASACOR Rio fica em cartaz até 4 de novembro, na Ladeira de Nossa Senhora nº 163 – Glória.