Arte com acesso

A 33ª  Bienal de São Paulo foi inaugurada no último dia 07, oferecendo a quem estava na capital paulista durante o feriado, um show de arte com acesso gratuito. A enorme exposição fica em cartaz até dezembro e trabalha o tema “afinidades afetivas” durante a mostra. Mas não foi só na Bienal que os paulistas e turistas puderam apreciar arte de qualidade com entrada franca. O A Cor da Casa se inspira hoje no Galpão da Lapa, criado em maio pelo casal Andrea e José Olympio Pereira.

Os colecionadores Andrea e José Olympio Pereira

Andrea e José Olympio Pereira são paulistas que acreditam na arte brasileira. Há décadas, colecionam obras de arte e fazem a curadoria de um lindo e precioso acervo. São obras modernas e contemporâneas que há 20 anos adornam as paredes da casa do casal. Até que faltou espaço e eles inauguraram, em maio deste ano, um enorme galpão para expor a coleção. O casal é hoje considerado como um dos mais importantes colecionadores de arte brasileira contemporânea no mundo, e segue uma tendência global em que grandes coleções privadas são reveladas ao público.

Com a ajuda do arquiteto Felippe Crescenti, um antigo galpão na Vila Anastácio (Lapa) foi transformado em espaço expositivo aberto ao público que quer conhecer de perto obras importantes brasileiras de ícones como:  Adriana Varejão, Ernesto Neto, Beatriz Milhazes, Iran do Espírito Santo, Janaina Tschäpe. O espaço de 1,6 mil metros quadrados de área é aberto a visitas em grupos, previamente agendadas.

A idéia é montar exposições que façam com que as obras circulem, e a primeira ficará em cartaz por um ano, com 200 obras. O primeiro recorte foi feito pelo curador Paulo Miyada, do Instituto Tomie Ohtake, com destaque para Tunga, Ivens Machado, Solange Pessoa, Nuno Ramos, Odires Mlászho, Anna Maria Maiolino e Leonilson. São pinturas, esculturas, fotografias e vídeos produzidos a partir do século XX.

A gente não precisa nem falar que vale conferir…

(Fotos: Ruy Teixeira/Paulo Freitas)