A tecnologia e o futuro

“A invenção do navio foi também a invenção do naufrágio”, disse uma ve o estudioso francês Paul Virilio. E é com esse dizer que os visitantes são recebidos na exposição “The Future Starts Here” (O futuro começa aqui) em cartaz no museu Victoria & Albert de Londres. Com curadoria de Rory Hyde, o curador-chefe do departamento de arquitetura e urbanismo contemporâneo e da arquiteta Mariana Pestana, a exposição explora como o design terá um papel cada vez mais importante no nosso futuro e como o poder da tecnologia afeta o nosso dia a dia.

Do nosso DNA ao cosmos, do planeta Terra às nossas baias de trabalho, o nosso futuro será mapeado pelos objetos que usamos e pelas pessoas que os desenvolvem. E nas palavras de Pestana, não podemos pensar no futuro como algo inevitável. “As pessoas pensam que o futuro está acontecendo sobre nós, mas a verdade é que podemos e devemos fazer escolhas,” diz a arquiteta.

Afinal, estarão os dispositivos nos unindo ou nos afastando? Essa é uma das perguntas colocadas durante a exposição, que estimula o julgamento dos visitantes.

Em exposição estão diversos produtos que desafiam o momento presente. Desde produtos desenvolvidos por corporações bilionárias até os produzidos por pequenas startups de garagem. Exemplo disso é a roupa de super-herói – ou melhor, “super-cidadão”-  usada pelo ex-prefeito de Bogotá para estimular o movimento anti-graffiti e outras ações por uma cidade mais limpa e cívica. Outro exemplo é o robô que está sendo desenvolvido pela universidade UC Berkeley para lavar e secar roupas. Ou mesmo o drone que está sendo desenvolvido pelo Facebook para fornecer acesso a internet em localidades remotas.

A exposição foi projetada pelo arquiteto Andrés Jaque e seu escritório em Madri, com um layout que permite que os visitantes explorem o espaço usando os cinco sentidos.

“O futuro começa aqui” fica em cartaz até 4 de novembro, e a compra de entrada antecipada é recomendada pelo site do museu Victoria & Albert.