Construindo Capelas

Qual é o papel da capela no século XXI? Essa é a pergunta feita pela Cidade do Vaticano nesta edição da Bienal de Arquitetura de Veneza. E para respondê-la, convidou escritórios de arquitetura renomados internacionalmente para projetar suas visões.

O pavilhão da Santa Sé consiste em dez pequenas capelas construídas por nomes como o inglês Norman Foster, o português Eduardo Souta de Moura – ambos ganhadores do Pritzker –  e também a jovem carioca Carla Juaçaba. Os escritórios participantes foram escolhidos a dedo pelo curador e historiador Francisco Dal Co, para explorar como a capela pode existir como uma construção isolada, longe de sítios religiosos.

Os arquitetos receberam encomendas para criar capelas sem precedentes e sem modelos. As dez capelas foram instaladas na ilha San Giorgio Maggiore, fora de Veneza.

Norman Foster

Norman Foster, o arquiteto responsável pelo premiado Foster + Partners, desenhou uma capela feita finas vigas de madeira com suporte de uma estrutura mínima de colunas de aços. Com vista para o mar e rodeada de plantas, o objetivo foi criar um ambiente de paz e santuário

Carla Juaçaba

Essa foi considerada a capela mais singela de todas, desenhada pela arquiteta brasileira Carla Juaçaba. Feita apenas com quatro hastes de aço, cada um deles com superfícies espelhadas, juntos formam uma cruz e um banco de assento.

Smiljan Radić

A inspiração para este projeto foram os santuários de beira de estrada no Chile. As paredes escuras de concreto foram sobrepostas com plástico bolha, criando uma textura de colméia de abelha lá dentro. A enorme porta de madeira fica encostada como se estivesse torta, criando um ângulo interessante.

Terunobu Fujimori

Com troncos de árvore transpassados pela fachada, a  capela criada pelo japonês Terunobu Fujimori tem ares de chalé. Dentro, o espaço é acolhedor, artístico e transmite paz.

Eduardo Souto de Moura

O português Eduardo Souto de Moura além de assinar o projeto de uma capela é também o vencedor do Leão de Ouro da bienal este ano. Com uma forma fluida e contínua, a capela desenhada por ele tem uma pedra que tanto serve de banco como de altar. De fora, parece uma grota, um local de introspecção.