Art in the City

A primavera finalmente chegou em Nova York, após um inverno longo, duro e escuro. E com ela, chegam os dias de céu azul, jardins floridos e pessoas estiradas na grama tomando sol. Mas não só. Chegam também as feiras de arte internacionais com edições em Nova York – muitas das quais iniciam no mês de maio. É o caso da Frieze, da Tefaf e da Art New York, todas em cartaz essa semana.

Em seu sétimo ano em Nova York, a Frieze aumentou o número de expositores e, naturalmente, também seu espaço físico de exposição nesta edição. São 190 galerias internacionais participantes nesta feira situada debaixo de uma linda tenda em Randall’s Island.  E nesta edição, a organização da planta da feira foi reformulada para promover melhor trânsito entre stands e incentivar um passeio mais prazeroso pela feira.

Um dos highlights dessa edição é instalação de arte no espaço público da ilha do artista Adam pendleton. Chamada “Black Dada Flag (Black Lives Matter)”, é uma enorme bandeira que ficará exposta pelos próximos seis meses em Scylla Point. E também a escultura “Shady” feita pelo africano radicado em Paris Kapwani Kiwanga. A outra novidade é a estreia dos novos pavilhões “Frame”, composto por novas galerias emergentes no mercado de arte com foco em apenas um artista, e “Spotlight”, com mostras de arte focadas exclusivamente no século XX. Como a cada edição, a curadoria dos eventos Frieze Talks sempre vale a pena conferir, onde acontecem conversas com artistas plásticos, escritores e performers.

A feira inaugurou ontem para o público e fica em cartaz até domingo, 6 de maio, na Randalls Island. Dica: a melhor forma de chegar na feira é de barco, um passeio lindo do Upper East Side até a ilha.

Em seu segundo ano, a feira europeia Tefaf , original da Holanda, começa hoje no Upper East Side de Manhattan. Composta por galerias que representam grandes nomes do mercado -tradicionais e também emergentes- a feira age como ponte entre o moderno e o contemporâneo. Um dos destaques desta edição vem da Mnunchin Gallery com trabalhos do artista plástico ganês El Anatsui, conhecido por fazer arte a partir de objetos rejeitados. Outro destaque é a mostra individual do artista plástico mexicano Gabriel Orozco, na badalada galeria Marian Goodman. Imperdível também é o stand da Di Donna Galleries, que colocou lado a lado obras Surrealistas e as máscaras africanas do século XIX que inspiraram suas criações.

Com 90 galerias participantes, a Tefaf é bem menor do que a Frieze, mas geralmente atrai o mesmo público interessado em arte moderna e contemporânea em Nova York.

 

A feira fica em cartaz até terça-feira, 8 de maio.

No lado oposto da Tefaf, temos a Art New York no West Side de Manhattan, que é um braço da feira Art Miami. Com 85 galerias de 30 países, a feira conta com obras contemporâneas, modernas, pós-guerra e pop art em seus mais diversos formatos. Destaque para obras de David Hockney, Jean-Michel Basquiat e Anish Kapoor na edição deste ano, entre os outros 1.200 artistas cujos trabalhos estão presentes na feira.

 

Art New York fica em cartaz até domingo, 6 de maio. Convidados VIP da Tefaf e da Frieze tem entrada franca na feira.