Serpentine 2018

O Serpentine Pavilion acaba de revelar o arquiteto convidado para a edição de 2018. Como todo ano, um escritório internacional de renome é convidado para redesenhar completamente o pavilhão, localizado ao lado da Serpentine Gallery dentro do Kensington Gardens, em Londres. O anúncio desta 18a edição é triplamente ousado por ecoar temas bem atuais, e um tanto quanto políticos. Mulher, jovem e mexicana, a convidada do ano é: Frida Escobedo.

 

Aos 39 anos, é a arquiteta mais jovem a assinar um projeto para o pavilhão, e por incrível que pareça, para um evento que já acontece há 18 anos consecutivos, esse foi o segundo escritório comandado exclusivamente por uma mulher a ser convidado – o primeiro e único até hoje foi o escritório de Zaha Hadid no ano 2000. Por último, ela representa com proeza o talento mexicano, em uma época onde o país tem constantemente sua imagem denegrida por comentários xenofóbicos do presidente americano Donald Trump.

 

A arquiteta Frida Escobedo

 

Frida abriu seu escritório na Cidade do México em 2006 e desde então realiza projetos ao redor do mundo. Ela é especialmente conhecida pelos projetos dinâmicos de reativação do espaço urbano. No México foi muito premiada pelos projetos de habitação social em Guerrero e Saltillo. Em Londres ela ficou conhecida por uma instalação inspirada na arquitetura Azteca comissionada pelo museu V&A durante o London Design Festival de 2015. Nos Estados Unidos, seu trabalho ganhou renome com o projeto da divisão de negócios da Universidade de Stanford. Além disso, já participou da Bienal de Arquitetura de Veneza (2012 e 2014) e da Triennale de Arquitetura de Lisboa (2013).

 

As primeiras imagens em 3D do projeto do Serpentine Pavilion foram reveladas com o anúncio da seleção, e o que sabemos até agora, é que o pavilhão será inspirado na “celosia”, um artifício típico da arquitetura mexicana que permite a ventilação -e que é bem parecido com o nosso cobogó. Com paredes escuras e feitas de tijolos de cimento, o pavilhão terá forma de um pátio que dá para uma bacia d’água.

 

 

No texto de divulgação do pavilhão, Frida conta que seu objetivo é conver história através da arquitetura com o uso de materiais simples e do cotidiano. Nesse projeto específico, ela fará isso através da luz e sombra, reflexo e refração, transformando a construção em algo que convém a passagem do tempo.

 

Através dos “cobogós”, o visitante poderá ter tanto a vista lá de fora quando estiver dentro quanto vice-versa, aproveitando a paisagem e luz natural do parque londrino. Esse jogo de reflexos fica ainda mais bonito por conta da água bem no meio do pátio.

 

 

O projeto de Frida Escobedo para o Serpentine Pavilion será inaugurado dia 15 de junho e fica aberto para visitação até 7 de outubro, no Kensington Gardens – Londres.