Tarsila in USA

Tarsila do Amaral, nossa grande modernista, ganha na semana que vem sua primeira exposição nos Estados Unidos. Ela, que é considerada uma das mais importantes artistas plásticas brasileiras, será tema de uma retrospectiva no MoMA, em Nova York. Com mais de 100 obras, incluindo pinturas, desenhos, fotos e documentos históricos, a exposição “Tarsila do Amaral: Inventing Modern Art in Brazil” é uma oportunidade rara para mostrar seu trabalho para o público global que vive e visita Nova York.

Tarsila, que nasceu no final do século XIX em uma fazenda de café em São Paulo, estudou piano, escultura e desenho no Brasil antes de se mudar para Paris. Em 1920 estudou na Académie Julian, a famosa escola de belas artes que atraia jovens estudantes do mundo inteiro. Após estudar em Paris com André Lhote, Albert Gleizes e Fernand Léger, Tarsila desenvolveu a partir do cubismo um estilo sensual e vibrante para pintar a paisagem do cotidiano.

Essa exposição apresenta seus trabalhos de 1920, quando ela estava navegando os mundos artísticos de São Paulo e Paris, mostrando seu envolvimento com a classe artística internacional, além de seu papel catalisador no movimento modernista brasileiro. Para realizar a exposição, o MoMA recebeu obras emprestadas da América Latina, Europa e de museus nos Estados Unidos.

Foi em 1928 que Tarsila pintou “Abaporu”, sua obra-prima, para o seu marido na época, o poeta Oswald de Andrade. O título, inspirado na língua tupi, quer dizer “homem que come gente”, e representa uma figura humana com pé e braço agigantados, tornando-se um símbolo da fase da artista. Foi esta obra que inspirou o Manifesto Antropófago, escrito por Oswald de Andrade, e que virou a bandeira para esse movimento artístico transformador. O modernismo assim surgia, imaginando uma cultura brasileira que surgia da digestão simbólica- o “canibalismo” artístico- de influências estrangeiras.

 

“Abaporu” (1928)

“Tarsila do Amaral: Inventing Modern Art in Brazil” fica em cartaz de 11 de fevereiro até 03 de junho de 2018, no Museum of Modern Art (MoMA), em Nova York.