Bokel no Correios

“Ver Rever” é o título na nova individual do artista plástico Antonio Bokel que inaugura na semana que vem no Centro Cultural Correios. Com curadoria da historiadora de arte Vanda Klabin, a mostra conta com 30 obras que tratam a temática da morte e do renascimento. Entre pinturas, esculturas, intervenções fotográficas e instalações, Bokel revê trabalhos antigos ao mesmo tempo que apresenta obras com ideias inéditas.

O artista plástico Antonio Bokel

Há um olhar sobre o olhar da pintura, que cria uma interlocução com outras linguagens, como a literatura. O artista carioca captura novos elementos composicionais e introduz em seu trabalho um perímetro curvilíneo em obras de grande expansividade pictórica, que capturam o olhar do espectador. O fazer e desfazer é muito presente, revelando um pensamento de descontinuidade: há uma espécie de ruído visual que ecoa das telas e configura nova opacidade ao trabalho do artista. “As suas obras são verdadeiros manifestos visuais e apesar de apresentarem uma rica diversidade, se agrupam através de uma linguagem comum, ao reivindicar um sentido plástico vinculado às imagens e dissonâncias da vida urbana,” comenta Vanda Klabin.

 “Ar Plano” (2018)

“Quadro Convite” (2017)

A temática dos ciclos da vida norteia a mostra: morte e renascimento são abordagens constantes. Elementos geométricos também são recorrentes e a repintura de telas deixa clara a intenção de revisitar caminhos percorridos, acessando memórias, sem deixar de lado a poética urbana que atravessa todo a obra do artista.

 “Vermelho Japa” (2018)

“Para essa exposição fiz uma releitura de trabalhos anteriores, mas sempre deixando rastros e janelas. Fiz isso como uma espécie de limpeza, matando um Bokel antigo para que surja um novo. O uso da tinta óleo também é recente. A figura geométrica vem com muita força, sempre contrastando com pinceladas mais gestuais, e as esculturas reforçam uma busca por novos caminhos e meios de expressão”, conta o artista.

“Denso Sútil” (2017)

“Antonio Bokel revela um constante cruzamento entre a arte e o tecido da vida urbana, como partes constitutivas do seu universo simbólico. Recorre a essa experiência da cidade como sequências existenciais – ali constrói o seu espaço referencial, ali parece inventar um território, ali pretende constituir uma extensão estética e espacial em uma dimensão mais ampla,” adiciona Vanda Klabin.

O artista plástico Antonio Bokel

“Ver Rever” inaugura no dia 24 de janeiro e fica em cartaz até 18 de março no Centro Cultural Correios, na R. Visconde de Itaboraí, 20/ 3º andar , Centro do Rio de Janeiro.