O DNA da Artefacto

Na semana passada a Artefacto lançou uma nova linha de móveis no dia da inauguração da mostra Vitrines 2017, no CasaShopping do Rio de Janeiro. Com curadoria de Clarissa Schneider, o Projeto DNA é uma linha de móveis assinados por designers que conhecem e entendem a essência da marca Artefacto. Clarissa, que é curadora de arquitetura, design e arte, convidou nomes importantes do design contemporâneo brasileiro para esse desafio criativo.

Beleza, autenticidade e o caráter artesanal dão o tom das criações assinadas por Bel Lobo e Mariana Travassos, Claudia Araújo, Felipe Hess, Guilherme Wentz, Inês Schertel, Jader Almeida, Marcelo Rosenbaum e Fetiche, Renato Imbroisi, Sérgio Mattos e Zanini de Zanine. Confira um preview abaixo das peças que por enquanto só estão sendo vendidas na loja do CasaShopping, no Rio, e na Artefacto Beach & Country da Avenida Brasil, em São Paulo:

Banco Caravelas, por Zanini de Zanine

Banco Gerdau, por Bel Lobo e Mariana Travassos

Luminária Carmem Miranda, por Renato Imbroisi

Sofá Eunapio, por Felipe Hess

Tapete Max, por Claudia Araújo

Banco Jardim, por Inês Shertel

Mesa Componivel Riss, por JaderAlmeida

Cadeira Tipiti, por Sérgio Matos

Chaise Long Onda, por Guilherme Wentz

“Cada um dos designers convidados possui um talento artístico natural, e é especialista em uma variedade de técnicas artísticas. Além de muito talentosos, são capazes de desenvolver ideias inspiradoras e inovadoras, pensando em diferentes abordagens. Seus produtos refletem uma beleza natural – e calor humano –, onde podemos quase tocar as mãos que trançaram as fibras conectadas à madeira, ao metal, aos tecidos, ao algodão. Há um equilíbrio poético entre a tecnologia e o artesanato, a forma e a função. Tudo se comunica em torno de um design mais amoroso, que valoriza o carinho e o cuidado”, diz Clarissa Schneider.
Os móveis do Projeto DNA podem ser vistos no 3o piso da mega-loja Artefacto do CasaShopping. A cenografia do Projeto DNA é do arquiteto Felippe Crescenti.

Espaço DNA, com curadoria de Felippe Crescenti, e foto de Miguel Sá