Labirinto da Música

Um labirinto diferente, repleto de plantas, música e surpresas. É essa a grande novidade que será apresentada ao público no dia 7 de setembro, no Festival Flor Atlântica. Quem assina o projeto do chamado “Labirinto da Música” é a paisagista carioca Maritza de Orleans e Bragança. Voltado para a sustentabilidade, gastronomia, música e estimulando os produtores locais, o festival acontece no parque ecológico Uaná Etê, em Sacra Família, Vassouras. Cristina Braga, a renomada harpista, é a dona da propriedade que abriga o Festival Flor  (Festa Livre Ornamental do Rio). Ela já tem experiência organizando festivais na região, pois junto com Turibio Santos, criou o Festival do Vale do Café, que esse ano completou 15 anos.

 

Planta baixa do Labirinto da Música, assinado pela arquiteta e paisagista Maritza de Orleans e Bragança

Cristina convidou Maritza para participar desse importante projeto não só pelo seu bom gosto e sensibilidade como paisagista mas também pela sua ligação pessoal com a região de Vassouras, onde sua família costuma passar férias.  “O Labirinto é um lugar onde o paisagismo se une à música, criando um percurso com espaços temáticos e interativos que provocam curiosidade e reflexão, em meio a bela paisagem do lugar,” conta Maritza

Em entrevista, a arquiteta e paisagista nos lembra que essa não é a primeira vez que desenvolve um labirinto. Foi na Casa Cor Rio de Laranjeiras, em 2010, que ela se aventurou pela primeira vez neste desafio. Desta vez, dedicou a música como tema central do projeto, em homenagem a proprietária Cristina Braga.

“Meu objetivo foi explorar a essência da música, lembrando as emoções que ela desperta e a sua natureza exata. Ao longo do percurso, há uma oportunidade de interiorização envolta em plantas, que se inicia com uma metáfora à criação do mundo, passando pelas notas musicais, concebidas por Pitágoras, para que, experimentando a consonância e a dissonância? Percebe-se que do caos chega-se à harmonia. Então o labirinto abre-se em um anfiteatro, proporcionando a elevação através da música,” relata Maritza.

No dia da inauguração, a paisagista fará uma palestra sobre o labirinto e o quadrivium do engenheiro acústico Leo Fuks às 14h. Em seguida, o labirinto será inaugurado com uma visita conduzida pelos Jovens do Projeto Social Musical PIM. Às 17h30, uma apresentação de músicos será feita no Anfiteatro do Labirinto, com convidados como Dado Villa-Lobos do Legião Urbana, Pedro Lima, Marcus Ribeiro, Eduardo Monteiro, Jongo de Pinheiral, entre outros. Uaná Etê recebe também painéis de pensamento sobre ciência e natureza com mentes brilhantes como as do engenheiro acústico Leo Fuks, o paisagista Everaldo Magalhães e o ambientalista Maurício Ruiz, e abre seus gramados e trilhas com vistas de tirar o fôlego antes e depois das apresentações.

O A Cor da Casa teve acesso a algumas fotos da construção do Labirinto, só para termos um gostinho do que poderá ser visto a partir do dia 7 de setembro:

Clique aqui  para saber como chegar ao Festival Flor Atlântica, que acontece de 7 a 10 de setembro. A programação completa do festival está disponível no site do evento.