Arquitetando em Búzios

É neste sábado a inauguração da mostra Arquitetando em Búzios, promovida pela Escola de Artes Zanine. Durante quase um mês, 23 arquitetos exibirão seus trabalhos em um dos balneários mais charmosos do Brasil. Serão apresentadas fotos, maquetes, desenhos, textos, matérias de jornais e revistas, espaços decorados, além de exibição em mídia digital com trabalhos bem diversos dos profissionais que estão arquitetando em Búzios.

A Escola de Artes Zanine, em Búzios

Após 14 anos do primeiro encontro, os arquitetos residentes e integrantes do Núcleo Búzios do IAB – Instituto dos Arquitetos do Brasil – irão apresentar seus principais projetos. Para 2017, o evento traz nomes de destaque da arquitetura buziana com 23 projetos de instalação, individual ou em dupla, e com temática livre.

Um breve sobrevoo pela península da Armação dos Búzios revela, além das belezas naturais, a sua principal caraterística arquitetônica – uma cidade baixa.  Isso se deve à volumetria das edificações em dois gabaritos e seus clássicos telhados em cerâmica. Todas as construções devem respeitar o limite máximo de dois pavimentos, sendo a taxa de ocupação da sobreposição (segundo pavimento) parcial,  evitando os chamados “caixotes”.  Além de horizontalizar da cidade, o charme se intensifica com a preservação das coberturas em telha cerâmica, remanescentes da então colônia dos pescadores, que conservam o “estilo Búzios”, proporcionando maior harmonia no balneário. O estilo colonial do telhado defendido inicialmente pelo arquiteto Octavio Raja Gabaglia, foi logo incorporado também por Arthur Carlos Costa, Chico Sales, Paulo Guilherme e Ricardo Guterres, entre outros. Ganhou corpo ao ser adotado pela geração seguinte de Alejandra Garzuze, Alice Passeri, Antonio Amaral, Roberto Aracri, Sandra Gnattali, que bateram o martelo e passaram essa expertise para a geração muito atuante hoje de Ana Luiza Gnattali, Andrea Bungarten; Daniel Lobato Costa, Gisele Ribeiro, Guido Campanate, Paula Medina, Pedro Campolina, Sylvia Schlemm… Essa bandeira defendida por Zanine, que emociona a cidade, será adotada pela nova “fornada” de jovens arquitetos – Isabela Amaral, Catalina Garzuze, Gabriel Acacri e João Teixeira -, filhos da cidade, que assegurarão a continuidade da boa arquitetura buziana, mantendo a forma e, possivelmente, utilizando recursos mais ecológicos. Essa geração transportará o conceito aplicado em Búzios para além das fronteiras da cidade.

Confira um preview:

 “Caza do Sino” restaurada em 1981 por Arthur Carlos Costa da Lobato Costa Arquitetura (foto: Gustavo Medeiros)  

Projeto “Bom dia sol”, de Roberto Aracri Arquitetura (foto: Paulinho Ribeiro)

Arquiteto Guido Campanate  (crédito André Amaral e NTZ iluminação)

“Porto da Barra”, em Manguinhos, por Octávio Raja Gabáglia

 Residência Ferradura III por Paula Medina Johnsson  (foto: Mariana Bottinelli)

 por Sandra e Ana Luiza Gnattali – Gnattali Arquitetura (foto: Sergio Quissak)

 “Albatroz”, por Daniel Lobato Costa (foto: Fatutti Comunicação)

Isso tudo acontece na Escola de Artes Zanine: o último projeto de arquitetura realizado pelo artista baiano, José Zanine Caldas, mestre em madeiras. Inaugurado em julho de 2016, o espaço vem abrigando exposições permanentes de artistas buzianos e convidados, além da realização de oficinas regulares de arte.

Arquitetando em Búzios fica em cartaz até 16 de agosto, de segunda à sexta-feira, das 9 às 18 horas, e aos sábados, domingos e feriados, das 16h às 18h horas.