Arte e Olfato


Ao entrar na loja Guerlain no Champs-Elysées, em Paris, o visitante é automaticamente convidado a uma viagem sensorial. Perfumes deliciosos e originais envolvem cada pessoa que por ali passa num transe aromático. Mas durante o verão não é só o nosso olfato que é estimulado dentro da loja. A exposição “Viagem às fronteiras do invisível”, que estreou na semana passada, traz a arte para dentro dessa que é uma das perfumeries mais tradicionais da França.
A loja da Maison Guerlain, no Champs-Elysées, em Paris
A inauguração da exposição no dia 15 de junho
A exposição se articula em três etapas. Afim de estabelecer um diálogo entre as essências da Guerlain e suas origens elementais, foi necessário recorrer aos quatro elementos: ar, terra, água e fogo. Para os ilustrar, imagens emblemáticas de fotógrafos célebres da Maison Europééne de la Photo estão expostas no subsolo da loja. Entre os artistas: Sebastião Salgado, Harry Callahan, Irving Penn, Mario Giacomelli, Daido Moriyama e Bernard Faucon. 
Sebastião Salgado e sua obra que representa o elemento “fogo”
A segunda etapa foi feita em parceria com o Vik Muniz, que criou uma obra inédita utilizando matéria prima que compõe os perfumes da Guerlain. A instalação é toda composta por arranjos florais que juntos constroem a figura de uma abelha. O interessante é que ao entrar na loja o visitante não vê a obra de cara, por que ela está em cima de uma mesa alta. Depois de sentir o cheiro, a curiosidade faz com que a pessoa se aproxime e um espelho a reflete. Ao lado, uma bela foto da obra em forma de quadro, que é a marca registrada do artista plástico brasileiro.
Sebastião Salgado, o CEO da Guerlain Laurent Boillot e Vik Muniz
Por último, a experiência visual e sensorial termina por uma viagem virtual que mostra a colheita do jasmin na Índia e na Ilha de Ouessant, na França, para descobrir o mel das abelhas negras.
A exposição fica em cartaz apenas até o dia 28 de agosto na Maison Guerlain – 68 Avenue des Champs-Elysées, Paris.