Vive la Maison!

O complexo cultural inaugurado essa semana no consulado francês do Rio faz jus ao seu nome de batismo: A Maison. Um ambiente de encontros, estudos e descobertas, que tem como objetivo ser usufruído pelo público como uma segunda casa. Com projeto da arquiteta Julia Abreu, a reforma durou mais de um ano no 11º andar da Casa Europa, a sede do consulado francês no Rio. Além da biblioteca multimídia, o espaço terá em breve um café com produtos franceses e um bar Champagne da Perrier-Jouet na varanda. No térreo, ficam o Cine Maison e o Teatro Maison de France.

A arquiteta Julia Abreu, diretora da Peckson Engenharia, transformou a antiga biblioteca do 11º andar em um amplo ambiente com 780 metros quadrados, com grandes painéis de vidro que possibilitam aos visitantes uma deslumbrante vista para a Baía de Guanabara. No projeto anterior, prateleiras enormes obstruíam a vista para a Baía de Guanabara e escureciam o ambiente.

 Júlia teve um enorme desafio: criar um ambiente acolhedor, moderno e que comportasse o acervo de 20 mil títulos. Para dar amplitude e integrar os ambientes, demoliu o antigo hall de entrada, eliminou paredes e investiu em placas de sinalização. “As paredes só entraram onde era absolutamente necessário, como nas salas de estudo e de reunião”, explica a arquiteta. Os tons de cinza e preto da decoração ganharam mais personalidade com o castanho das cadeiras Charles Eams e das poltronas Egg verde-limão.

 

O salão central tem mesas de leitura e lounges com puffs e sofás, além de uma sala de estudos com capacidade para cinco pessoas e uma de reunião, que comporta até vinte pessoas. Para as crianças, o espaço infantil – com móveis da linha Bel Lobo desenvolvida para a Tok&Stok – oferece livros divididos por faixa etária. Na parte posterior, há também um ambiente multimídia, com televisões, computadores e tablets, onde se pode escutar música, assistir clássicos do cinema francês e ainda ler revistas e jornais digitais.

 Equipe da Peckson Engenharia: Julia Abreu e Ligia Tammela

Foi preciso desenvolver novas soluções para a exposição de todo o acervo, como as estantes rotatórias, criando-se um espaço sem a sisudez de uma biblioteca tradicional. “Na parte central, usamos apenas expositores baixos. As novas estantes altas foram alocadas nas laterais, não interferindo na entrada de luz natural, e contribuindo para a circulação de pessoas”, ressalta Júlia, acrescentando que o artista plástico brasileiro Ivonesyo Ramos e o fotógrafo francês Vincent Rosenblatt doaram obras para a midiateca.

 A Maison fica na Av. Antonio Carlos, 58 / 11° – Centro. Já está aberto ao público!

Crédito das fotos: MCA Estúdio