Paris Playground

Ares lúdicos invadiram a loja de departamento Le Bon Marché, na Rive Gauche de Paris. A convite, o premiado artista chinês Ai Weiwei criou a instalação “Er Xi, Air de Jeux” (Brincadeira de Criança), dentro da movimentada loja. Inspirada no conto infantil chinês “Os Montes e os Mares”, escrito há mais de dois milênios, o artista criou gigantes esculturas mitológicas flutuantes.  O pergaminho reúne relatos populares de terras estranhas, mitos, figuras fabulosas e eventos extraordinários. Segundo o artista, a exposição dialoga diretamente com a nossa criança interior.

Essa é a primeira vez que Ai Weiwei expõe dentro de uma loja. Para ele, é uma oportunidade para fazer com que o público conviva e interaja com a arte fora de museus. Nas vitrines da loja, o conto começa a ser contado, e o cliente é convidado a entrar e explorar a história através dos personagens flutuantes. Só na área de cosméticos, são 20 esculturas suspensas.

Atualmente na China, esses contos antigos foram censurados pelo governo. Por isso, Ai Weiwei, com seu espirito contestador, traz para um dos centros da Europa o que não pode ser contado em casa. Após quatro anos sem o próprio passaporte, confiscado pelo governo, o artista faz um real apelo à liberdade de movimento. As gigantes esculturas foram transportadas de China à Paris por navio.

Em três dimensões, e feitas a partir de bambu e seda de pipa, as esculturas suspensas foram iluminadas como tradicionais lanternas chinesas. A flexibilidade do bambu e a leveza da seda fazem com que esses personagens realmente sobrevoem a Le Bon Marché como num conto de fadas.  Ai Weiwei lembra que as estruturas de bambu são uma referência à sua infância. “Eu fiz minha primeira pipa quando tinha dez anos, com bambu roubado de persianas”, conta o artista.

“Er Xi, Air de Jeux” fica em cartaz até 20 de fevereiro na Le Bon Marché, na 24 Rue de Sèvres, em Paris.