Floresta em Foco

A flora sul-americana está com tudo e não está prosa. Em cartaz no museu Wolfsonian-FIU, em Miami Beach, a exposição “Philondendron” celebra através da arte a migração de plantas tropicais de seu habitat natural para os jardins europeus e norte-americanos. A proposta, bem ousada, é descontruir a origem das plantas através desse intercambio cultural pelo olhar da arte, arquitetura, cinema, moda e ciência. A exposição busca evidenciar a maneira como estas espécies definiram as ideias ocidentais à respeito do “exótico” tropical.

 

O museu Wolfsonian-FIU, em Miami Beach

 

Com um panorama que inclui objetos, com aproximadamente três séculos de história, originários de lugares como Amazônia, Caribe e outras áreas, a exposição destaca obras de Diego Rivera, Georges Braques, Roberto Burle-Marx e Henri Matisse. Instituições importantes do mundo inteiro cederam obras para a exposição, inclusive a Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro.

 

Roberto Burle-Marx

 

O curador do museu, Christian Larsen, selecionou junto com a H.A.P. Galeria, dois projetos de “Muro”, da série “Quando Eu Vi”, da artista carioca Claudia Jaguaribe, que serão apresentados em destaque na entrada principal da exposição.

 

Obra de Claudia Jaguaribe na exposição “Philondendron” 

 

O Wolfsonian-FIU criou especialmente para essa exposição uma série de quatro instalações contemporâneas no lobby do museu, que inclui uma experiência de imersão dentro de uma floresta, com plantas naturais, chamada “Forest for the Trees”.

 

 

Nada mais natural do que sediar essa exposição em Miami, cidade americana considerada por muitos como a capital da América Latina, pela quantidade de imigrantes que lá vivem.

 

A exposição fica em cartaz até 28 de fevereiro no Wolfsonian-FIU, na 1001 Washignton Avenue, Miami Beach, Florida.