Brasilidade no Paço

A mostra “Singularidades/Anotações: Rumos Artes Visuais” celebra o trabalho de artistas plásticos que recebem desde 1998 apoio do projeto Rumos Itaú Cultural, de fomento à produção artística brasileira. Com equipe curatorial formada por Aracy Amaral, Regina Silveira e Paulo Miyada, a exposição, no Paço Imperial, reúne cerca de 50 trabalhos de 35 artistas contemplados de 1998 a 2013 nos editais de Artes Visuais, Arte e Tecnologia, Transmídia e Novas Mídias. Entre eles, nomes que hoje são de grande peso internacional, como a paraense Berna Reale, o manauense Rodrigo Braga, o paulista Caio Resewitz, a brasiliense Barbara Wagner e o mineiro João Castilho. O público poderá conferir um conjunto bastante heterogêneo de obras, parte delas inédita, entre pinturas, gravuras, fotografias, instalações, vídeos, performances e projetos interativos.

 

Graças ao Rumos Itaú Cultural, inúmeros artistas conseguiram divulgar seus trabalhos nacionalmente. “A importância do programa e sua vigência por tantos anos reside, sobretudo na acolhida desse projeto por artistas de regiões distantes de grandes centros do Brasil. A aceitação de seus trabalhos traz  a possibilidade de sua visibilidade em outras regiões” diz Aracy Amaral.

 

Berna Reale representa o Brasil na Bienal de Veneza deste ano. A artista apresenta a série MMXIII, produzida durante as manifestações de rua de 2013. São cinco fotografias sobre alumínio em que ela aparece vestida com a farda da Tropa de Choque e elementos do cotidiano.

 

 

Rodrigo Braga mostra fotos da natureza densa do litoral de Pernambuco e do Rio de Janeiro.

 

Já Laerte Ramos apresenta o trabalho Acesso Negado & Acesso Negrado, série de 46 esculturas de cerâmica (23 brancas e 23 pretas).

 

Caio Reisewitz utiliza fotos que mesclam realidade com subjetividade na obra Autoridade.

 

Barbara Wagner

 

A mostra “Singularidades/Anotações: Rumos Artes Visuais 1998-2013” fica em cartaz até 29 de novembro no Paço Imperial, que fica na Praça 15, Centro. A entrada é franca.