Os brutos também decoram

Materiais brutos estão por todos os lados nesta Casa Cor Rio. É madeira de demolição, pedra, cimento, concreto, aço corten, malha metálica e até parede de telha metálica. Os brutos, definitivamente, também decoram. E fazem bonito. Eles estão na estrutura, nos detalhes e até nos ambientes mais românticos. Olha só a seleção que o A Cor da Casa fez entre os ambientes da Casa Cor Rio.

 

 

O Home Office da Fotógrafa, de Pedro Paranaguá, é colorido, romântico e feminino. E o teto em cimento, mantido no original pelo arquiteto, cria um contraste para lá de interessante nesse ambiente.

 

 

Na Garçonnière, André Piva e Vanessa Borges mantiveram as paredes originais de cimento e pedra.

 

 

No Lounge Renault, Duda Porto foi buscar nos muros de gabião (normalmente usados na contenção de encostas) a solução para uma construção rápida para o seu ambiente. Estão em evidência ali materiais como aço, pedra e malha metálica.

 

 

As paredes de pedra originais da casa também foram mantidas em ambientes diversos como o Living da Praia, de Paola Ribeiro, e a Sala de Estar Bela Arte, de Ricardo Melo e Rodrigo Passos.

 

 

Outra parede bem diferente está no Estúdio dos Colecionadores, de Maurício Nóbrega. Ali, o arquiteto usou uma espécie de telha metálica como revestimento e ainda aproveitou o material para exibir boa parte da coleção de quadros exposta no ambiente.

 

 

Na Recepção, de Erick Figueira de Melo, a escada ganhou outros ares com a pintura que imita aço corten.

 

A Casa Cor Rio fica na Villa Aymoré, na Glória, até o dia 13 de outubro. A mostra abre de terça a domingo, das 12h às 21h.