Sintonia Fina

 

A nova coleção de luminárias desenvolvida pela designer Claudia Moreira Salles para a Lumini define bem o que é uma “sintonia fina”, nome dado à coleção. Uma conversa harmônica entre design e arte com funcionalidade. São seis modelos com edição limitada e numerada (apenas 25 peças de cada) produzidos com matérias-primas sofisticadas. Na tecnologia, foi usado o LED. Para a base das peças, madeira de demolição. Para as hastes, o cobre.  Nas cúpulas, uma inovação: o nióbio, um metal raro usado normalmente para dar mais resistência ao aço. As madeiras utilizadas também são nobres: Peroba do Campo, Ipê, Sucupira Preta, Baraúna, Garapeira, Jacarandá da Bahia e Pinho de Riga.

 

a designer Claudia Moreira Salles

 

 

Sintonia Fina começou a nascer em 2014 quando o curador Waldick Jatobá convidou Claudia para expor na Galeria Luciana Caravello. A proposta era que ela desenvolvesse uma coleção de peças em edição limitada que estivesse na fronteira entre a arte e o design. A primeira ação da designer, depois de aceitar o convite, foi visitar a galeria. “Nesse momento me ocorreu trabalhar com luminárias, que pontuariam os dois espaços disponíveis. Seria um desafio, já que era uma área que eu pouco conhecia, mas que sempre me fascinou”, detalha Claudia.

 

 

A escolha do parceiro para o desenvolvimento do projeto se deu de forma natural. “A Lumini é uma empresa com a qual me identifico pela seriedade e qualidade dos produtos, além de ter como principal designer um dos colegas que mais admiro, Fernando Prado”, completa. “Foi um grande prazer desenvolver esse projeto, sobretudo pelo apuro estético do desenho da Claudia” – diz Fernando Prado, diretor de criação da Lumini.

 

 

Sintonia Fina é uma aposta nos contrastes: à densidade da madeira, nas bases, sobrepõe-se a leveza do cobre, nas hastes. E há ainda o delicado equilíbrio das cumbucas (como Claudia chama as cúpulas), que são apoiadas nas linhas horizontais do cobre. Assim, Sintonia Fina se concretiza, no contraste entre o quente e o frio, o leve e o pesado, tanto na escolha dos materiais quanto em suas formas – esculturais sem perder as funções.