Exposição homenageia 55 anos de design de Aída Boal

Uma das mais importantes arquitetas e designers do modernismo brasileiro, Aída Boal vai ganhar uma exposição retrospectiva da sua obra. De 30 de julho a 20 de agosto, o espaço Saddock 207 recebe a exposição “Aída Boal”. Serão 14 peças. Cinco delas fazem parte do acervo pessoal de Aída e permanecem inéditas. Com curadoria de Marcelo Vasconcellos e Alberto Vicente, que acabam de abrir no espaço a MeMo Brasil Galeria, e montagem cenográfica de Zanini de Zanine, a mostra também reúne as peças criadas para homenagear familiares e amigos.

 Estão lá as cadeiras “Ângela” e “Luciana”, em homenagem às duas filhas, “Augusta”, uma referência ao irmão (o dramaturgo e diretor teatral Augusto Boal), e “JC Cavalcanti”, em homenagem ao crítico. Além delas, será possível ver as cadeiras “Elíptica” e “Itaipava”, a poltrona “Ipanema”, a mesa “Elíptica”, a tríade “Redonda” e os inéditos “Móvel Baixo”, e mesas “Sítio”, “Mafra”, “Dórica” e “Patrícia”.

Móvel Baixo uma das peças inéditas que serão mostradas na exposição

“Não é a primeira exposição que faço da Aída. Mas acho que ela merecia essa homenagem. Parte dessas peças estava “escondida” nas casas da Aída e das filhas e esses móveis nem devem entrar em produção, mas eles mostram a força que tem o design dela”, diz Marcelo Vasconcellos.

Tríade Redonda

As peças, todas em madeira nobre como jacarandá, pinho de riga e mogno, têm o peso do móvel moderno nacional e foram criadas entre os anos 1960 e 1970. Mas Aída, contemporânea de Sérgio Rodrigues, com quem se formou na Faculdade de Belas Artes, não se sente parte de qualquer escola ou estilo. Uma decisão tomada ainda naquele período.

Cadeira JC Cavalcanti: uma homenagem ao crítico, que segundo Aída, sempre elogiava seus trabalhos

“Preferia não ver o que os outros estavam fazendo para não sofrer qualquer influência no meu trabalho. E acho que foi uma decisão acertada. Hoje, já acompanho o que os outros estão criando. Mas quando olho para a maioria das minhas peças, ainda gosto de quase todas”, conta Aída que também teve momentos dedicados à escultura e à pintura.

Recém-aberto numa simpática casa em estilo normando em Ipanema, no endereço que dá nome ao espaço -, o Saddock 207 reúne showrooms de móveis e peças de design  únicas ou de edição limitadíssima e também abre suas portas para eventos como bate-papos e exposições. Fica na Rua Almirante Saddock de Sá, 207, em Ipanema.

A casa em estilo normando que abriga o Saddock 207, onde acontece a retrospectiva de Aída Boal