Antes de uma Casa Cor Rio

Daqui a poucos dias, começa a montagem dos ambientes da Casa Cor Rio deste ano. Um momento de muito trabalho para organizadores, arquitetos, designers de interiores e paisagistas. Mas quem visita o evento nem imagina. Por isso, o A Cor da Casa resolveu voltar no tempo e mostrar como eram os ambientes da Casa Cor Rio 2012 antes da “invasão” do casarão da Rui Barbosa. O prédio em estilo eclético de 1922 é um dos cenários mais contrastantes para esse “Eu era assim… fiquei assim”.

Construído na Avenida Rui Barbosa, no Flamengo, para abrigar o Hotel Sete de Setembro, o imóvel que também chegou a ser ocupado pelo Internato da Escola de Enfermagem Anna Nery e pela Casa dos Estudantes da UFRJ, estava bem deteriorado. Foram reformas e mais reformas, inclusive de estrutura, antes mesmo de os arquitetos entrarem. E quando entraram… mais obra! Mas muitos mantiveram detalhes originais, de tão bonitos que eram. Confira três dos ambientes em um momento antes e depois.

Pátios internos, de Anna Luiza Rothier
A paisagista Anna Luiza Rothier tirou proveito das imperfeições ocasionadas pelo tempo: não tocou nas antigas paredes dos pátios. Em compensação, refez todo o piso de um deles, em um verdadeiro trabalho de escavação!


O resultado ficou impactante.

Flashback Bar, de Beto Figueiredo e Luiz Eduardo Almeida (Ouriço Arquitetura)
A dupla da Ouriço Arquitetura assinou um dos espaços mais badalados da edição: a pop up store do Flashback Bar. Ficava no terceiro andar do prédio, e era onde tudo acabava em festa. Mas antes da música, muita obra. Inclusive de recuperação da linda escadaria em madeira que levava até lá.


Uma enorme estante de oito metros, que abrigava capas de discos com iluminação especial, subia os degraus junto com os visitantes. O telhado ficou aparente, revelando as toras de madeira que sustentavam e os segredos centenários das paredes por trás. O antigo elevador foi preservado e recauchutado, e virou a cabine do DJ!


Living, de Eric Figueira de Mello
O arquiteto assinou um dos espaços mais visitados de todas as mostras: o living. Neste ano, era imenso! Tinha 124 m² e foi dividido em três ambientes. O trabalho foi grande na recuperação do piso, das esquadrias das portas e janelas e das sancas, que Eric manteve como eram no original.


O resultado compensou o esforço: o contraste do antigo com móveis contemporâneos ficou sensacional.