Clã Bernardes

O Pavilhão de São Cristóvão, o Museu de Arte do Rio (MAR) e o mastro da Praça dos Três Poderes, em Brasília têm muita coisa em comum. Todos foram projetados por integrantes da família Bernardes – três gerações de importantes arquitetos brasileiros: Sergio, Claudio e Thiago. E para falar dessa dinastia, o arquiteto Miguel Pinto Guimarães promoverá três encontros na Casa do Saber, com início hoje.

O arquiteto Miguel Pinto Guimarães

O avô, Sergio, ganhou destaque por seus inúmeros projetos de casa que aliavam a simplicidade carioca e o luxo. O pai, Claudio, junto com Paulo Jacobsen, resgatou, nos anos 80, a tradição arquitetônica nacional, reformulando a casa brasileira ao utilizar elementos da oca indígena, do estilo colonial português e dos preceitos modernistas. O neto, Thiago, segue pela mesma trilha de criatividade de seus antecessores na arquitetura, tendo, ainda, escrito o roteiro de um documentário sobre a vida de Sergio. Somados, os integrantes do clã Bernardes desenvolveu cerca de mil projetos arquitetônicos.

Sergio Bernardes

Sergio, Claudio e Thiago Bernardes: as três gerações

Miguel conviveu com as três gerações da família, e vai conversar sobre o legado do trabalho deles e as alterações provocadas no jeito carioca de morar.

Pavilhão de São Cristóvão

Museu de Arte do Rio (MAR)

“A arquitetura da família Bernardes” será apresentada na Casa do Saber Rio nos dias 10, 17 e 24 de março às 20h. Para obter mais informações ou para se inscrever, acesse o site.