No brilho

A partir de amanhã o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) recebe uma exposição que vai ofuscar as demais, literalmente. Com o ouro como fio condutor, 50 obras de artes de importantes artistas plásticos brasileiros, que tem como matéria prima o precioso metal, serão expostas. A exposição explora a relação do ouro – um dos personagens principais da história do Brasil e eterno objeto de desejo no imaginário popular – com a criatividade brasileira. Obras de Tunga, Mira Schendel, Irmãos Campana, Cildo Meirelles, Antonio Dias, entre outros, compõe a exposição “Ouro — Um Fio que Costura a Arte do Brasil”.

O visitante é recebido com muito brilho, logo na rotunda principal, com uma instalação de 50 mil folhas de ouro de Laura Vinci. A obra, que é site specific, fica suspensa no ar como um redemoinho, em uma chuva de ouro.

by Laura Vinci

São instalações, desenhos, objetos, esculturas, fotos, pinturas e joias criados por trinta artistas. Sejam leves pinceladas, blocos inteiros, toques brilhosos, ou pequenas gotículas, o ouro está sempre presente.

Antonio Dias

“Essa mostra é uma maneira de reunir a diversidade criativa do Brasil a partir de um elemento comum que permite um novo olhar para o que foi criado nesse século”, conta o curador Marcello Dantas. 

Zé Bento

A mostra é fruto de uma inédita parceria da instituição, que comemora seus 25 anos, com a joalheria H. Stern, que comemora seus setenta anos de existência. Estarão expostas joias da marca inspiradas na obra de Oscar Niemeyer, do paisagista Roberto Burle-Marx, do músico Carlinhos Brown e a companhia de balé Grupo Corpo.


H.Stern, inspiração Carlinhos Brown


H.Stern, inspiração Grupo Corpo

“Ouro — Um Fio que Costura a Arte do Brasil” inaugura amanhã, dia 14 de outubro no CCBB Rio de Janeiro. O museu fica Rua Primeiro de Março, 66. A exposição fica em cartaz até 5 de janeiro de 2015.