Voando pra China

A cidade chinesa que mais cresce de acordo com todas as pesquisas é Shenzhen, no sul do país, e ao norte de Hong Kong. Não a toa, o governo está investindo pesado em infraestrutura na cidade, que é tida como um dos principais centros financeiros da China. Exemplo disso é o novo terminal do Aeroporto Internacional Shenzhen Bao’an, por onde 45 milhões de passageiros circulam por ano. A partir de uma concorrência promovida pelo estado chinês, o escritório de arquitetura italiano Studio Fuksas projetou o terminal 3 do zero, em parceria com o escritório de lighting design britânico Speirs + Majors.

Ambos escritórios tem currículo invejável. Enquanto o Studio Fuksas projetou ícones do design como o centro da Feira de Milão (Rho), o Speirs + Majors iluminou os belíssimos aeroportos de Londres (Heathrow) e Madri (Barajas).

Com 1,5 km de extensão, o novo terminal impressiona pelo formato orgânico, que lembra uma raia – um peixe que respira, é flexível e muda de forma de acordo a necessidade.


Sua cobertura ondulada é formada por duas camadas com milhares de claraboias hexagonais em forma de colmeia. Elas permitem que a luz natural penetre o imenso ambiente, criando uma instigante padronagem de luz e sombra nos interiores. Os efeitos da luz são reforçados pelo aço inoxidável altamente reflexivo utilizado como material de acabamento.. A noite, luzes artificiais reproduzem o mesmo efeito obtido durante o dia. E a iluminação externa em tonalidade azul saturada, cria a impressão de que ele flutua sobre uma lagoa. Tudo isso, com controle racional de energia.

A ideia, segundo as mentes do projeto, foi criar um ambiente acolhedor  para que o viajante se sentisse bem até quando o voo é postergado. A sinalização, distâncias e disposição das alas e segmentos do aeroporto foram todas pensadas para criar o maior conforto para quem desfruta do espaço. Tudo foi elaborado depois de um minucioso estudo e planejamento.


Uma nova fase da reforma do aeroporto está prevista para 2025 e já foi encomendada aos mesmos escritórios por trás do Terminal 3.