Schendel em São Paulo

A exposição retrospectiva  da artista plástica suíça – e naturalizada brasileira – Mira Schendel mal foi inaugurada na Pinacoteca de São Paulo e já é sucesso de críticas. Com 300 obras, a exposição traz à tona a história da artista que reinventou a linguagem do Modernismo Europeu no Brasil. São pinturas, desenhos, esculturas e instalações, todas realizadas entre os anos 1950 e 1987 – incluindo a última série produzida em vida pela artista, as pinturas conhecidas como “Sarrafos”.

Mira Schendel: artista é tida como uma das artistas-chave da arte brasileira ao lado de seus contemporâneos Lygia Clark e Helio Oiticica

“Sarrafos”

A exposição já foi apresentada na Tate Modern, em Londres, onde foi um grande sucesso de público, depois foi para a Fundação de Serralves e agora completa a última parte da itinerância na Pinacoteca.

O público brasileiro, porém, é privilegiado, pois além das obras expostas nas mostras anteriores, na Pinacoteca estão incluídas obras das séries Bordados e Naturezas-mortas (década de 1960) e Mandalas (década de 1970), bem como a série Papéis Japoneses (década de 1980) e um conjunto significativo de trabalhos do acervo do Museu de Arte Contemporânea da USP, que foram doados pelo crítico de arte e amigo de Schendel, Theon Spanudis.

A exposição Mira Schendel fica em cartaz até 19 de Outubro na Pinacoteca do Estado de São Paulo- Praça da Luz, 2.