Bienal de Veneza: um túnel do tempo

Enquanto muitos acham que um arquiteto bacana é aquele que vê além de seu tempo, a edição de 2014 da Bienal de Arquitetura de Veneza prova que não é bem só isso que importa. Na contramão das tendências, o arquiteto holandes Reem Koolhaas, convidado para ser o curador desta edição, resolveu olhar cem anos para trás para criar o tema da Bienal. Intitulado “Absorbing Modernity”, o tema tem como objetivo mostrar como os últimos cem anos moldaram definitivamente o modo pelo qual se constroem edifícios e cidades pelo mundo.

Hoje, só vemos altas torres espelhadas serem construidas, umas ao lado das outras. Por isso, Koolhaas propos que nos pavilhões nacionais, cada país apresentasse o que cada um tivesse de mais interessante na arquitetura dos últimos cem anos.

Afinal, indiscutivelmente, os últimos cem anos de arquitetura nos deram elementos que são referencias essenciais. Um século atrás, literalmente, o mundo estava construindo joias que hoje conhecemos como pré-modernistas: palácios renascentista italianos, telhadinhos inclinados alemães, coberturas de motivos orientais na Indonésia…

Através disso, o arquiteto tentará resgatar as belezas do passado, para que inspirem mais inovação e talento no tempo presente.

Para mais informações e fotos, visite o site da Bienal de Veneza de Arquitetura 2014.