Made in Mauritius

Quando o assunto é aeroporto bom, bacana e bonito, nós brasileiros ficamos com a boca aguando, já que por aqui os nossos deixam muito a desejar. Por isso- e justamente em época de Copa- o A Cor da Casa se inspira em um aeroporto na África da onde podemos tirar muitas lições: o Sir Seewoosagur Ramgoolam International Airport. Localizado nas Ilhas Maurício, na capital Port Louis, o aeroporto há anos foi alvo de críticas de turistas e locais. Até que no último governo, foi dada a largada para uma grande reforma de três anos que colocou o aeroporto em patamar internacional, podendo agora receber 4.5 milhões de passageiros por ano, o dobro da capacidade original.

O aeroporto foi construído, está sendo administrado, pela empresa francesa ADPM, uma subsidiária da firma que controla os aeroportos de Paris. O CEO Jacques Follain garante que o investimento no aeroporto trará benefícios cruciais ao turismo da ilha, que é das principais receitas dos mauricianos.

Com seus 57 metros quadrados, o aeroporto é a maior estrutura jamais construída na ilha. O arquiteto francês Alain Davy, que assina o projeto, se inspirou no formato e movimentos de uma árvore tradicional local para criar o aeroporto.

Chamada “ravenala” (ou arvore-do-viajante), o formato desta planta comumente confundida por uma palmeira,  faz com que a estrutura arquitetônica transmita leveza e suavidade – apesar de feita com aço. Mas além de bonito, também é sustentável. O novo terminal contém 264 painéis solares, um sistema de captação de água da chuva, luz natural nas áreas públicas, e diversos espaços-verdes. Sem dúvidas, há muito o que aprender dos nossos longínquos mauricianos.