Curativos Urbanos

As sofridas calçadas brasileiras choraram, choraram e finalmente estão sendo acudidas. Pelo governo? Negativo. Por seis jovens do eixo Rio-São Paulo indignados com os inúmeros buracos e obstáculos que pulam no dia a dia para transitar pelas metrópoles onde moram. Aline Peres, Ana Carolina Angotti, Jeniffer Heemann, Maria Occarina, Rafaella Wolf e Renato Forster fundaram então o movimento “Curativos Urbanos” – produzindo enormes curativos estilizados para colocar por cima dos buracos mais gritantes das ruas. O objetivo é chamar atenção dos cidadãos e do poder público para as condições das calçadas.

“É uma grande brincadeira com o intuito de levar um pouco de crítica ao dia a dia dos moradores. Vivemos em grandes metrópoles e percebemos que as cidades são cheias de problemas que são ignorados como se não fossem da importância de ninguém. Queremos que as pessoas também se sintam responsáveis por onde vivem, sabe?”, explica Jeniffer Heemann.

Para agregar outros jovens que dividem a mesma preocupação, o “Curativos Urbanos” criou uma página no Facebook onde publicam fotos das intervenções e promovem campanhas para incentivar que as pessoas pensem sobre o problema.

A ideia foi tão bem recebida, que jovens de outras cidades brasileiras também adotaram o método e estão trazendo a “cura” para as calçadas de onde moram. Hoje, além do Rio e de São Paulo, os esparadrapos coloridos podem ser flagrados em Campinas (SP), Assis (SP), Porto Alegre (RS), Vitória da Conquista (BA), e até em Roma, na Itália.

Atualmente, o movimento estuda possíveis parcerias com prefeituras e orgãos públicos para realmente solucionar o problema. “A intervenção de curativos coloridos é apenas o início de uma mudança que queremos promover de verdade.”, afirma Aline Peres. Os resultados já estão dando as caras. Essa calçada abaixo, da Avenida Paulista, é uma das que já foram consertadas!

fotos divulgação Curativos Urbanos

Para acompanhar, e quem sabe participar (!), do movimento, acesse o Facebook do Curativos Urbanos.