O MAR é carioca

Os cariocas estão ansiosos – amanhã é dia de ganhar um novo cartão postal, coisa que há tempos não acontecia. E diferente dos ícones que o mundo inteiro conhece, como o Pão de Açúcar, o Corcovado e as praias, esse novo postal é feito pelo homem. Quer dizer, um não, dois homens. Thiago Bernardo e Paulo Jacobsen são os arquitetos do Museu de Arte do Rio de Janeiro, o MAR.

O MAR é uma das primeiras “surpresas” a serem inauguradas no chamado Porto Maravilha. São dois prédios interligados: o Palacete Dom João VI, um antigo prédio tombado, onde serão realizadas as exposições, e um edifício modernista ao lado, que era originalmente um terminal rodoviário, e hoje abrigará oficinas de artes para o rede pública (Escola do Olhar).

Fotos Jaime Acioli:

 A originalidade é palavra-chave do projeto. Os dois renomados arquitetos pensaram a união dos dois prédios por meio de duas passarelas translúcidas, cobertas, e uma cobertura suspensa, que possui uma estrutura fluida, extremamente leve, simulando a ondulação da superfície da água. “Propusemos a criação de uma praça suspensa na cobertura do prédio reunindo todos os acessos, além de um bar e uma área para eventos culturais e atividades de lazer. Dessa forma, a visitação será feita de cima para baixo”, Paulo Jacobsen disse para o jornal “Folha de São Paulo”.

O térreo, livre com pilotis, hoje utilizado como acesso para o terminal rodoviário, foi transformado em um foyer com áreas expositivas, jardins e um auditório. A marquise do terminal rodoviário, um elemento tombado, abrigará os serviços do museu.

O MAR será dedicado a exposições tanto históricas quanto contemporâneas de artistas nacionais e internacionais.  Importantes coleções de artes nacionais como as da família Fadel e do marchant Jean Boghici poderão pela primeira vez ser vistas ininterruptamente pelo público, pois estarão em grande destaque no museu. Ao todo, são 15 mil metros quadrados com oito salas de exposições divididas em quatro andares.

Abaixo, a programação de exposições previstas para esse semestre:

3º Andar

Rio de Imagens: Uma Paisagem em Construção

Curadoria – Rafael Cardoso e Carlos Martins

A exposição Rio de Imagens: Uma Paisagem em Construção ocupa o terceiro andar do pavilhão de exposições do MAR – o primeiro no fluxo de visitação proposto pelo museu – e aborda a evolução da cidade, ao longo de quatro séculos. Com curadoria de Carlos Martins e Rafael Cardoso, a mostra conta com aproximadamente 400 peças e retratará as transformações do cenário urbano e a construção do imaginário sobre o Rio de Janeiro.

2º Andar

O Colecionador : Arte Brasileira e Internacional na coleção Boghici

Curadoria – Luciano Migliaccio e Leonel Kaz

A exposição apresentará cerca de 140 peças da coleção particular do marchand Jean Boghici. De forma lúdica, a mostra vai propor um mosaico da nossa arte e história, no século XX. O recorte curatorial se inicia com a Missão Francesa de 1816 e se estende aos dias de hoje. Entre pinturas e esculturas, O Colecionador irá reunir obras de Di Cavalcanti, Brecheret, Guignard, Vicente do Rego Monteiro, Rubens Gerchman,  Antonio Dias, Calder, Lucio Fontana, Morandi, Kandinsky, Max Bill e outros 70 artistas.

1º Andar 

Vontade Construtiva na Coleção Fadel

Curadoria – Paulo Herkenhoff e Roberto Conduru

Com cerca de 230 peças, a mostra pretende exibir um expressivo e histórico conjunto de obras da coleção Fadel, todas produzidas por artistas plásticos brasileiros participantes dos movimentos concreto e neoconcreto, que surgiram e se desenvolveram durante as décadas de 1950 e 1960. E apresentar também obras significativas deste período artístico pertencentes ao acervo do Museu de Arte do Rio – MAR, adquiridas ou doadas recentemente. Um dos principais objetivos da exposição é demonstrar a relação direta que os movimentos modernos e pós modernos no Brasil tiveram, e ainda têm como alicerces sólidos para a edificação cultural do país – vitais no desenvolvimento socioeconômico. Vontade Construtiva na Coleção Fadel  reunirá obras de Willys de Castro, Hercules Barsotti, Lygia Clark, Franz Weissemen, Ligya Pape, Hélio Oiticica, Aloísio Carvão, Avatar de Moraes, Amilcar de Castro e Almir Mavigner, entre outros.

Térreo

O Abrigo e o Terreno – Arte de Sociedade no Brasil I

Curadoria – Clarissa Diniz e Paulo Herkenhoff

O MAR poderá ser visitado diariamente (excetos às segundas) de 10h às 17h, com entrada franca às terças.