Decifrando Joana César

Ainda na adolescência, Joana César criou uma linguagem em código para driblar a curiosidade do irmão que vivia tentando ler o seu diário. Hoje, ela estampa seus segredos nos muros da cidade. Seu alfabeto  indecifrável, escrito em branco e vermelho, ganhou status de obra de arte e vai marcar presença na Casa Cor Rio 2012. Ela vai grafitar as paredes de um corredor imenso no térreo do casarão da Avenida Rui Barbosa.

Diferente da maioria dos grafiteiros, a artista não usa colorjet, pinta com tinta de verdade. Seus grafites, quase sempre, vem acompanhados de uma figura curiosa, batizada por ela de Raguezo, com seus braços erguidos para o alto e as costelas à mostra.

Em abril, ela fez sua primeira individual, “Fuga >Lenta”, na Galeria Athena Contemporânea. Joana César é carioca, nasceu em 1974. Na década de 90, teve aulas na Escola de Artes Visuais do Parque Lage e fez curso de fotografia e de filosofia. Em 2003, começou a pintar suas mensagens cifradas nos muros da cidade. Só uma pessoa conseguiu decifrar seu alfabeto, mas todo mundo já “devorou” a sua arte. Joana hoje é uma artista de sucesso.