On The Top

O recém inaugurado The Shard, o edifício mais alto da Europa, abre suas portas just in time para as Olimpíadas. A pontualidade britânica, não é coincidência. Londres, além de sediar o evento esportivo mais importante do mundo, também está querendo se reposicionar na esfera do poder – numa época em que sua economia deixa a desejar (perdendo sua 5ª posição no ranking mundial, para o Brasil). Todas as forcas estão unidas para a reconstrução da imagem do país, que já foi um dia, o centro do mundo.

E a construção de um belo arranha-céus, como o The Shad, com os seus 309 metros de altura, é um símbolo de força e poder. A torre, localizada na margem do rio Tamisa, vai ser sede de um hotel de cinco estrelas da rede Shangri-La, três pisos de restaurantes, apartamentos de luxo, salas comerciais, e um incrível mirante.

Triangular e toda feita de cristal, a torre reflete o céu, mudando de aparência a cada vez que o tempo e as estações mudam.

O The Shard foi construído pelo arquiteto italiano Renzo Piano, ganhador de um Pritzker, que assinou projetos de destaque como o Centro Pompidou em Paris e no momento faz o novo campus da universidade americana Columbia, em Nova York.

O arquiteto Renzo Piano

O museu Centro Pompidou, em Paris

O projeto do novo campus da Columbia University, em Nova York

Mas nem todas as criticas ao projeto foram favoráveis. Em plena recessão econômica, os críticos apontam que a construção do empreendimento foi feita no momento errado, afinal, apesar das olimpíadas, a Europa não esta exatamente em “clima de festa.” Renzo Piano defende sua criação, afirmando que “a economia tem ciclos muito mais curtos: tem altos e baixos. Até mesmo o Empire State Building foi construído no momento errado, e continua lá,” citando a queda da bolsa americana no final dos anos 20.

A boa notícia é que sua forma excêntrica vai adicionar um toque moderno à margem do rio, onde nenhum arranha-céu havia sido construído.  A notícia não tão boa…é que no final do ano, um arranha céus de 332 metros, será inaugurado na Rússia, o Mercury City Tower. Ou seja, o The Shard, perderá rápido a fama de “o mais alto da Europa”.

Para ler mais sobre o novo arranha-céus londrino, visite o site.