Um sonho para o Rio de Janeiro

O Hotel Sete de Setembro foi erguido numa época áurea para a arquitetura carioca.  Depois da reforma da Avenida Central, que ganhou ares mais europeus, o então prefeito do Rio, Carlos Sampaio, sonhava  em transformar o restante da cidade – a Zona Sul , pertinho do mar – numa área de lazer e descanso.  Sim, em um grande e luxuoso balneário inspirado na Riviera Francesa.

O conjunto arquitetônico da Avenida Rui Barbosa seria o primeiro a ser construído dentro deste plano estratégico para a expansão da nossa cidade no início do século passado. Mais do que isso, a idéia era que este projeto servisse de referência para os demais prédios que seriam construídos na região. O Hotel Sete de Setembro,  de arquitetura eclética, foi erguido em apenas 14 meses pelo escritório Antonio Jannuzzi & Cia, o mais importante construtor da época.

Fotos daquele tempo mostram que o hotel era muito maior.  O conjunto teria  quatro prédios e não apenas dois como acontece atualmente e possuiria cerca de 257 quartos – um estudo mostrou que, hoje,  o espaço poderia abrigar no máximo 120 aposentos. Quando foi inaugurado, há exatos 90 anos, em 15 de julho de 1922, o Hotel Sete de Setembro possuía, além de um imenso e chiquérrimo restaurante, cabines de banho para os hóspedes poderem curtir as límpidas águas da praia do Flamengo. Bons tempos aqueles! 

 

 

Hotel Connet et de La Reine, em Cannes